fbpx

Puberdade

Puberdade

A chegada da puberdade traz mudanças significativas nos corpos de meninas e meninos. Essas alterações são demoradas. Por vezes desgastantes. Em função disso a orientação médica pode ajudar os pais e as adolescentes a terem maior compreensão desta fase.

Nas meninas, a primeira consulta ao ginecologista será importante para entender as transformações do corpo. Entre elas, o desenvolvimento dos seios, o aumento dos órgãos reprodutores, o surgimento de pelos na região genital e axilas. Além da modificação da silhueta do corpo.

A fase da puberdade culmina com a chegada da menarca – termo técnico para definir a primeira menstruação. Esta etapa significa que o copo feminino passa a ter as condições orgânicas para gerar um bebê. Além de suscitar alterações dos hábitos da menina.

“A partir deste momento, é quase obrigatória uma conversa franca dos pais com a menina e também hora de agendar a primeira consulta ao ginecologista”, orienta o ginecologista e especialista em sexualidade Marino Pravatto Júnior.

Motivos da primeira consulta ao ginecologista

Pouco tempo atrás, era comum a primeira consulta ao ginecologista ser feita apenas quando a mulher perdesse a virgindade. Antes da primeira relação sexual, a orientação de um especialista não era considerada necessária.

Com os avanços de estudos científicos, atualmente considera-se que em uma primeira consulta ao ginecologista não se avalia apenas as questões de cunho sexual ou reprodutor.

“É claro que é preciso falar de prevenção contra gravidez e conscientizar as meninas do fato de que já podem gerar filhos. Mas também são feitos exames para avaliar se o crescimento está normal e as condições dos órgãos reprodutores e seios estão se desenvolvendo dentro do esperado”, explica do Dr. Pravatto Júnior.

O médico explica que numa primeira consulta ao ginecologista costuma-se:

– Pedir um raio X de mãos e pés para avaliar o crescimento e o desenvolvimento dos ossos;

– Examinar a vulva e as mamas para detectar aspectos de anormalidade (como corrimentos) ou assimetria dos seios;

– Fazer um ultrassom pélvico a fim de avaliar se os órgãos reprodutores – útero e ovário – desenvolvem-se antes da normalidade.

Presença da mãe na consulta

Numa primeira consulta ao ginecologista, a presença da mãe ou responsável não só é permitida, como recomendada. Em geral, na primeira vez, as mães costumam levar as filhas em seus próprios médicos de confiança.

E nada impede que e menina possa ter também uma conversa com o ginecologista sem a presença da mãe.

 “É bom dar um pequeno espaço para a menina falar da parte da contracepção na primeira consulta ao ginecologista. Mas é claro que isso vai depender da característica de cada família e do tipo de educação, que devem ser respeitados”, conclui o ginecologista.

Fonte: arevistadamulher.com.br

Open chat
1
Olá!!
Você está precisando de ajuda?